Paulista

Vinícius Eutrópio bate a concorrência e é o novo técnico do Guarani

Ele assume a vaga deixar por Osmar Loss, demitido após derrota 'vergonhos' no dérbi

Publicado em 22/03/2019
por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 22 (AFI) - Depois de uma semana de negociações, Vinícius Eutrópio é o novo técnico do Guarani. Ele já estava hospedado em Campinas e assinou contrato nesta sexta-feira, mas ainda não se sabe se vai comandar o time contra o Mirassol na segunda, pelo Troféu do Interior.

Com 52 anos, o técnico está sem trabalhar desde junho do ano passado, quando deixou o Bolívar, um dos mais tradicionais clubes da Bolívia, e que estava disputando a Copa Libertadores. Assume a vaga deixar por Osmar Loss, demitido após o dérbi.

A CARREIRA
Vinícius Eutrópio tem uma carreira vitoriosa e já trabalhou na comissão técnica de Carlos Alberto Parreira no Fluminense. Mais tarde, com a troca no comando, assumiu o clube das Laranjeiras.

Em 2013 conquistou o acesso com o Figueirense na Série B e no ano seguinte foi campeão catarinense. Trabalhou também no Santa Cruz e na Chapecoense. Em 2016 teve uma rápida passagem pela Ponte Preta, com apenas quatro jogos no Campeonato Paulista.

Ainda sob convite de Carlos Alberto Parreira, seu 'padrinho', Eutrópio trabalhou como auxiliar na seleção da África do Sul durante a Copa do Mundo de 2010. Ele foi responsável por observar os adversários e passar as informações para o técnico.

TÁ COMPLICADO

No Guarani, Eutrópio vai ter que lidar com a pressão extra-campo e o momento instável da diretoria. O presidente Palmeron Mendes Filho perdeu força nos bastidores e vem sendo muito cobrado pela torcida pelas recentes eliminações na Copa do Brasil e Campeonato Paulista, além da derrota ‘vergonhosa’ para a Ponte Preta por 3 a 0 no dérbi. Nesse cenário, Vinícius Eutrópio assume e já tem que definir o planejamento para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Vinícius Eutrópio bate a concorrência e é o novo técnico do Guarani
Vinícius Eutrópio bate a concorrência e é o novo técnico do Guarani

Para Eutrópio, o clube é a grande oportunidade do treinador de recuperar a carreira no futebol brasileiro após a passagem pela Bolívia. Para o Guarani, o treinador é a última cartada para tentar evitar uma crise ainda maior. O casamento entre os dois, selado em meio a pressão e desconfiança, pode dar certo se vier acompanhado de projeto e respaldo da diretoria em longo prazo.

CONCORRÊNCIA

Antes de fechar com Vinícius Eutrópio, o presidente Palmeron Mendes Filho 'atirou para todos os lados'. Ele confessa que abriu conversas com mais de quinze treinadores, entre eles Vanderlei Luxemburgo, Gilson Kleina e Dunga. Em comum entre eles apenas o salário fora da realidade do Guarani. A tática de demonstrar interesse por tantos nomes diversos mostra que o Departamento de Futebol segue sem planejamento, pensando apenas em um 'escudo'.

O presidente tem outro 'calcanhar' de Aquiles na sua administração: a dificuldade em honrar em compromissos assumidos com os treinadores. Desde 2017, quando Palmeron foi aclamado para o cargo, é recorrente no Guarani que os ex-treinadores, que deixam Campinas, precisem recorrer a Justiça do Trabalho para receber os vencimentos pendentes.