Português

Técnico português quer seguir caminho de Jesus e analisa propostas do futebol brasileiro

Mariano Barreto vê com bons olhos uma oportunidade no futebol nacional

Publicado em 12/12/2019
por Agência Futebol Interior

São Paulo - Os clubes em disputa do futebol brasileiro seguem em busca de contratações de técnicos e jogadores para alcançar os respectivos objetivos.

De olho no mercado nacional, o português Mariano Barreto quer seguir o mesmo caminho de Jorge Jesus e se mantém atualizado na caça por um novo clube. Na longa carreira como treinador, já são mais de 20 anos de profissão, com trabalhos na Rússia, Portugal, Alemanha, Gana, Arábia Saudita, entre muitos outros.

"Estamos aberto por novos desafios. São mais de duas décadas de atuação. Já realizei ótimos trabalhos. Recebi sondagens do futebol brasileiro para a próxima temporada. Vamos analisar a melhor opção, mas é uma situação em que me agrada muito", pontuou.

MAIS DO TREINADOR
Com 62 anos, Mariano Barreto esteve nos últimos três anos no projeto do Stumbras Kaunas, da Lituânia. Neste período, levou o clube duas vezes seguidas para a Liga Europa e tendo ajudado ainda com excelentes negócios na ida de jovens talentos, para Lille (França) e Benfica (Portugal).

O treinador começou a carreira nas categorias de base do Sporting Lisboa, integrando posteriormente equipes técnicas de Marinho Peres, Bobby Robson, Carlos Queiroz. Quando Portugal venceu a Copa do Mundo Sub-20, derrotando o Brasil na final, seis jogadores desse plantel passaram nas mãos de Mariano Barreto. São eles: Luis Figo, Paulo Torres, Emílio Peixe, João Oliveira Pinto, Rogério e Sérgio Lorenzo.

Mariano Barreto está livre no mercado
Mariano Barreto está livre no mercado
Ele ainda passou por Borussia Dortmund, sendo treinador exclusivo de Paulo Souza, tendo o clube vencido a Liga dos Campeões 1996/1997, com Julio César, zagueiro da seleção brasileira, no elenco.

Rodou ainda por Lokomotiv e Dínamo, de Moscou, Kuban Krasnodar, também da Rússia, e Seleção de Gana, onde disputou as olimpíadas em Atenas e a qualificação para a Copa do Mundo de 2006, tendo deixado a equipe em primeiro lugar para aceitar uma oferta do Marítimo, de Portugal, onde trabalhou com o atacante brasileiro Pena. Isso sem contar clubes da Arábia Saudita, Angola e Etiópia.

REFERÊNCIA
"O futebol brasileiro está voltando a ser referência no cenário internacional. Jesus é um amigo, que devolveu a grandeza do resultado a qualidade do futebol. Gosto de um futebol bem jogado, ofensivo e organizado. É isso que pretendo implantar na minha equipe. Muitos técnicos estrangeiros querem comandar clubes no Brasil", concluiu o comandante que tem propostas de clubes do eixo Rio-São Paulo.

O treinador também está ligado na formação de grandes jogadores de nível mundial como: Luis Figo, Emilio Peixe, Paulo Sousa, Ricardo Carvalho, Maniche, Carlos Martins, Ismael Al Maghrabi, Pedro Mantorras, entre outros.