Eliminatórias - Europa

Pandemia reduz pela metade gastos de times na janela de transferências de janeiro

Os dados constam em relatório elaborado pela Fifa e confirmam o impacto da Covid-19 na economia do futebol

Publicado em 18/02/2021
por Agência Estado

Campinas, SP, 18 - O número de transações internacionais de jogadores de futebol durante a janela de transferências de janeiro caiu 36,2% e o montante de dinheiro envolvido nesses negócios despencou para quase a metade, em comparação com o mesmo período de 2020. Os dados constam em relatório elaborado pela Fifa e confirmam o impacto da pandemia do novo coronavírus na economia do futebol.

BAIXA

Em janeiro, a Fifa registrou 2.690 movimentos de jogadores de um país para outro, o número mais baixo dos últimos seis anos. Outro sinal de que os clubes estão apertando os cintos é o valor total destas operações, que diminuiu 49,1%. Se há um ano as transações da janela de janeiro chegaram a US$ 1,1 bilhão (R$ 5,9 bilhões na cotação atual), agora caíram para US$ 590 milhões (R$ 3,1 bilhões).

A contratação de Amad Diallofoi a mais cara da janela - Foto: Divulgação / Manchester United
A contratação de Amad Diallofoi a mais cara da janela - Foto: Divulgação / Manchester United

Apesar de não ter fornecido o número detalhado de cada transferência, a Fifa anunciou que a contratação do jovem marfinense Amad Diallo (da Atalanta ao Manchester United) foi a mais cara de todas, seguida pela do brasileiro Diego Rosa (do Grêmio ao Manchester City) e do franco-marfinense Sébastien Haller (do West Ham ao Ajax).

Campeão mundial sub-17, Diego Rosa foi vendido sem nem ter jogado pelo time profissional do Grêmio. O negócio já estava definido desde o meio do ano passado, mas só foi contabilizado pela Fifa em janeiro. O Manchester City pagou 5 milhões de euros (R$ 32,5 milhões), mas se o atleta atingir metas estipuladas pelos ingleses o negócio pode render mais 24 milhões de euros (R$ 156 milhões).

TENDÊNCIA

Os números da janela de transferências de janeiro confirmam uma tendência de queda no mercado do futebol.

Em 2020, o número de transferências já havia caído 5,4% em relação a 2019.

Foi a primeira queda em uma década, segundo outro relatório divulgado pela Fifa em janeiro.

A expectativa é de que as transações voltem a ganhar força no meio do ano. O defensor austríaco David Alaba, do Bayern de Munique, por exemplo, já anunciou que deixará o clube alemão. Capaz de atuar na zaga, na lateral ou no meio de campo, ele estaria nos planos de Real Madrid e Barcelona, segundo a imprensa alemã.

O jogador teve papel importante nas últimas conquistas do Bayern de Munique, onde chegou há 13 anos. Com a equipe alemã conquistou duas Liga dos Campeões da Europa (2013 e 2020), dois Mundiais de Clubes, nove edições do Campeonato Alemão e seis da Copa da Alemanha.

O próprio Bayern de Munique contratou o zagueiro francês Dayot Upamecano, do RB Leipzig. O jogador integrará o grupo do atual campeão mundial a partir da próxima temporada e, segundo a imprensa alemã, custou 43 milhões de euros (R$ 280 milhões).