Amistosos de Seleções

No 100º jogo de Neymar, Tite deixa testes de lado para seleção voltar a vencer

Na última data Fifa, a Seleção perdeu para o Peru por 1 a 0 e empatou com a Colômbia por 2 a 2

Publicado em 10/10/2019
por Agência Estado

Campinas, SP, 10 (AFI) - O duelo é histórico para Neymar, que alcançará a marca de cem jogos disputados pela seleção, e, em tese, apenas mais um amistoso que poderia ajudar Tite a encontrar opções para a disputa das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022, a partir de 2020.

Mas o treinador decidiu encarar o jogo muito a sério e vai escalar a base da equipe que faturou a Copa América nesta quinta-feira, a partir das 9 horas (de Brasília), quando o Brasil terá Senegal pela frente no Estádio Nacional de Cingapura.


OS TROPEÇOS
Campeã continental em casa em julho, em uma conquista que deu fôlego e mais tranquilidade ao trabalho desenvolvido por Tite, a seleção tropeçou nos dois jogos que disputou após a Copa América, empatado com a Colômbia por 2 a 2 e perdendo para o Peru por 1 a 0, em amistosos realizados nos Estados Unidos. E, para evitar novo resultado ruim, decidiu usar os jogadores que compõem o seu time-base.

"Futebol é o que se vê e o que se sente. Às vezes tem fora do jogo, o convívio, o treino, mesmo que seja um período mais enxuto dessa vez. Mas é a realidade minha e das outras seleções também", afirmou Tite, justificando a falta de testes contra Senegal.

Assim, as únicas novidades da seleção na comparação com a formação que conquistou a Copa América serão Ederson e Neymar. O goleiro do Manchester City assume a vaga que vem sendo de Alisson com Tite, pois está contundido. E o atacante do Paris Saint-Germain, que não atuou no torneio por causa de uma lesão, retoma sua vaga, em detrimento de Everton Cebolinha.

ESPECIAL PRA NEYMAR

Não será, porém, apenas mais um amistoso para Neymar, pois o atacante chegará, aos 27 anos, aos cem jogos disputados pela seleção.

Nessa série, iniciada em 2010, soma apenas um título oficial conquistado - a Copa das Confederações de 2013 - e a participação em duas Copas do Mundo, ambas marcadas por turbulências, com a grave lesão sofrida em 2014 e polêmicas por simulações de faltas em 2018.

E o palco do amistoso é marcante para Neymar, afinal, em 2014, foram dele todos os gols do Brasil no amistoso contra o Japão, vencido por 4 a 0.

PELA TEMPORADA
O confronto com Senegal também é importante para ampliar o seu bom começo de temporada. Livre de lesão, ele a iniciou primeiro pela seleção, participando dos dois amistosos de setembro, com um gol marcado contra a Colômbia.

Depois, em ação pelo Paris Saint-Germain, fez quatro gols em cinco jogos disputados. E precisará de muito mais para recuperar o apoio da torcida do clube e voltar a sonhar com a briga pelo prêmio de melhor do mundo.

"Tem que estar com a cabeça boa e preparado para dar a volta por cima. Busco isso para esta temporada, estar bem, torcer para que nada de mau aconteça. Terminando a temporada pode ter certeza que vou ficar sim entre os melhores", afirmou Neymar.

SÓ EXPERIENTES
Sem fazer testes, Tite vai colocar em campo uma seleção cheia de jogadores experientes, como o lateral Daniel Alves, que terá 39 anos na época da Copa do Mundo de 2022, e o zagueiro Thiago Silva, que vai estar com 38 quando torneio se iniciar no Catar.

Assim, ainda que tenha convocado quatro novatos para os amistosos - os laterais Marcinho e Renan Lodi, o volante Matheus Henrique e o goleiro Santos -, os testes deverão ficar para o outro compromisso da seleção nesta data Fifa, contra a Nigéria, domingo, novamente em Cingapura.

RIVAL PREOCUPA
Vice-campeão da Copa Africana de Nações, Senegal causa preocupação a Tite especialmente pela qualidade de Sadio Mané, atacante do Liverpool e no qual o treinador da seleção brasileira votou como terceiro melhor do mundo na premiação The Best da última temporada. "Jogador muito móvel, ágil, tem habilidade, tem lance pessoal muito forte", elogiou o treinador brasileiro.

Além do astro do Liverpool, Senegal também conta com outros jogadores de destaque em outros grandes clubes do futebol europeu, como o zagueiro Koulibaly, do Napoli, o atacante Keita Baldé, do Monaco, e o volante Idrissa Gueye, do PSG. No ranking da Fifa, é a 20ª colocada, sendo a seleção africana bem mais posicionada da lista - o Brasil ocupa o terceiro lugar.