Eliminatórias - Europa

Mudança no STJD! Otávio Noronha é eleito presidente

Aos 36 anos, mineiro de Três Corações assume o principal posto do STJD, instância máxima do futebol, para o quadriênio 2020/2024

Publicado em 14/07/2020
por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 14 (AFI) - O Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol (STJD) tem uma nova presidência. Na tarde desta terça, dia 14 de julho, o Auditor Paulo César Salomão Filho deixou o comando do tribunal do Futebol e o Auditor Otávio Noronha assumiu a presidência para a gestão 2020/2024.

Em discurso emocionado em cerimônia realizada no auditório principal da nova sede do STJD e transmitida ao vivo, o novo presidente agradeceu aos companheiros de Justiça Desportiva, aos familiares e amigos que o ajudaram em sua formação e falou sobre os planos para seu mandato.

A solenidade de posse dos novos integrantes do STJD do Futebol contou com a presença física do presidente eleito Otávio Noronha, do Auditor Paulo César Salomão Filho (presidente gestão 2018/2020), dos Auditores Antônio Vanderler de Lima e Felipe Bevilacqua e do presidente da OAB Federal, Felipe Santa Cruz. Todos os demais membros participaram de forma virtual.

Confira o discurso do novo presidente do STJD:

“Sem dúvida alguma, vivemos uma situação única em nossa história, não só no meio do futebol, mas em todo o mundo. Nosso estilo e a forma que enxergávamos a vida não é mais o mesmo. Protocolos rígidos foram implementados para suavizarmos as infecções causadas por esse vírus misterioso e mortal. A presente reunião é prova disso. Para que uma aglomeração fosse evitada, a sessão solene de posse da nova composição foi transmitida on-line.

Tenho ciência que enfrentaremos uma série de desafios, uma vez que o esporte foi um dos primeiros segmentos afetados por essa Pandemia, já que a presença de público é massiva o que poderia acarretar a transmissão dessa enfermidade de forma assustadora.

Otávio Noronha, ao centro da imagem, é o novo presidente do STJD (Foto: Divulgação/CBF)
Otávio Noronha, ao centro da imagem, é o novo presidente do STJD (Foto: Divulgação/CBF)
Uma série de medidas foram tomadas para a retomada das atividades. Creio que ainda enfrentaremos várias questões relativas a volta do futebol. Não só os estaduais foram afetados, assim como todos as demais competições nacionais e internacionais. Teremos um longo e árduo trabalho para pacificar eventuais conflitos que poderão surgir ao longo do ano.

Tenho ciência da importância do papel que exercerei ao comandar a mais alta corte de Justiça desportiva do país. Para tanto, contarei com a ajuda dos meus pares nesse longo caminho a ser percorrido.

A nova composição é formada por homens e mulheres honrados, experientes e com muita bagagem na área.

Como é de conhecimento, as decisões da Corte influenciam de forma direta o dia dia do futebol. O STJD, como órgão máximo da Justiça Desportiva, baliza e cria precedentes que servem de orientação para todos os Tribunais de Justiça Desportiva do Brasil. Daí a nossa importância. Muito mais do que uma corte punitiva, analisamos todos os tipos de demandas surgidas em nosso esporte. De infrações cometidas em jogos a suspensões de dirigentes e demais jurisdicionados.

Pretendo, assim como na última gestão, combater de forma firme e enérgica os falsos torcedores que frequentam nossos estádios com o único intuito de brigar, assustar, violentar e afastar as pessoas de bem dos estádios. Inclusive, após longos debates promovidos e organizados pelo atual Procurador Geral Ronaldo Piacente em São Paulo, começamos a estudar medidas alternativas a perda de mando ou a realização de partidas com portões fechados.

A Corte firmou entendimento que os Clubes não poderiam continuar a ser covardemente punidos em face das atitudes de indivíduos que, mesmo sendo insistentemente alertados das eventuais punições, cometessem crimes, badernas ou arruaças nas praças desportivas. Para tanto, os locais destinado as famosas torcidas organizadas começaram a ficar isolados e fechados. No lugar de torcedores, faixas com mensagens de incentivo a paz.

Outra importante bandeira que pretendo levantar em minha gestão é o combate ao racismo. Vivenciamos, não só aqui no Brasil, como em todo o mundo, o crescimento do preconceito e descriminação. Custo a acreditar que em pleno século XXI, em um mundo globalizado, haja espaço para esse tipo de conduta. Não toleraremos qualquer tipo de manifestações discriminatórias, seja quanta a raça, credo, gênero ou religião.

Ainda, seguindo o exemplo da gestão do Presidente Paulo Salomão, pretendo continuar com a integração do STJD com os demais Tribunais estaduais promovendo sessões itinerantes, bem como apoiando o nosso Diretor da Escola de Direito Desportivo, Paulo Feuz, na realização de cursos e workshops por todo o país. Os nossos encontros fora de nossa sede no Rio de Janeiro foram muito positivos, levamos a centenas ou milhares de amantes do futebol, operadores do direito e demais interessados um pouco do nosso dia a dia e como funciona a justiça desportiva.

MAIS DE OTÁVIO NORONHA
Mineiro de Três Corações, Otávio Noronha é bacharel em Direito pela CEUB/Brasília, Pós-graduando em Direito Tributário no IBET e conselheiro da OAB/DF.

No âmbito desportivo entrou no STJD como Auditor em 2012 integrando a Quinta Comissão Disciplinar. Em 2016 foi indicado ao Pleno pela OAB/Federal. Dois anos depois, na gestão de Paulo César Salomão Filho, assumiu a vice-presidência e a função de corregedor. Aos 36 anos, Otávio Noronha assume o principal posto do STJD, instância máxima do futebol e órgão responsável em manter a disciplina e o futebol limpo.