Brasileiro

Lisca nega fama de 'bombeiro' e fala sobre Chape: "Não quero queimar oportunidade"

O treinador negou o convite para assumir o clube catarinense no meio da temporada

Publicado em 11/09/2019
por Agência Futebol Interior

Chapecó, SC, 11 (AFI) - A Chapecoense encerrou nesta quarta-feira a negociação com o técnico Lisca, nome preferido da diretoria para assumir o clube no lugar de Emerson Cris, que voltaria para a função de auxiliar. Em contato com o Portal Futebol Interior, o treinador explicou a decisão de não assumir o clube catarinense no meio da temporada.

Lisca disse 'não' para Chapecoense
Lisca disse 'não' para Chapecoense
"Na Chapecoense meu objetivo era iniciar um trabalho e não chegar para servir de bombeiro. No segundo turno são dois jogos por semana e não vou conseguir usufruir do meu forte que é a metodologia de treinamento, então prefiro não queimar uma oportunidade num clube onde sempre quis trabalhar por tudo que representa a Chapecoense e sua proximidade com nós gaúchos. Prefiro aguardar outro momento do clube e tirar este rótulo de só ser chamado no momento ruim", disse.

Lisca quer apagar a imagem de 'bombeiro' que conquistou durante os últimos anos. O treinador ganhou tal projeção após salvar o Ceará de um rebaixamento dado como certo, em 2015. No ano passado, não foi diferente. Novamente fez grande trabalho no Vozão, ao tirar o time da lanterna e realizando campanha de G-7, pós-Copa do Mundo.

O treinador, de 47 anos, teve chance semelhante no Internacional, em 2016. Ele comandou o clube por três jogos, mas, desta vez, não conseguiu livrar o clube de seu primeiro rebaixamento. Lisca ainda comandou times como Brasil de Pelotas, Caxias, Luverdense, Novo Hamburgo, Juventude, Náutico, Sampaio Corrêa, Joinville, Paraná, Guarani e Criciúma.

Ainda em busca de um treinador, a Chapecoense ocupa a penúltima colocação do Brasileirão, com 14 pontos, a quatro de deixar a zona de rebaixamento. O próximo desafio é neste sábado, às 19h, na Arena Condá.