Paulista

Há seis anos, Ituano superava o Santos pela primeira partida da decisão

Único gol do confronto realizado no Pacaembu foi marcado na primeira etapa pelo experiente meio-campista Cristian

Publicado em 06/04/2020
por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 06 (AFI) - Há seis anos, Ituano e Santos se enfrentavam pela primeira partida da final do Campeonato Paulista de 2014. Na oportunidade, o clube de Itu venceu o confronto pelo placar mínimo, com gol solitário do meia-atacante Cristian.

Presente em finais do estadual desde 2009, o Santos chegava para a sua sexta decisão de Paulistão, tendo conquistado três edições -2010, 2011 e 2012- e com dois vice-campeonatos para o Corinthians -2009 e 2014. Do outro lado, o Ituano chegava à final após 12 anos da conquista de seu único estadual de sua história.

Com status de favorito, pois terminou a primeira fase com a melhor campanha -36 pontos-, o Santos desbancou a Ponte Preta nas quartas de final e o Penapolense na semifinal. Já o Ituano encerrou a primeira perna com a quarta melhor campanha, com 28 pontos. Nas fases seguintes, superou Botafogo, nos pênaltis, e Palmeiras.

Há seis anos, Ituano superava o Santos pela primeira partida da decisão
Há seis anos, Ituano superava o Santos pela primeira partida da decisão

O JOGO
Ficou acordado que as duas partidas da decisão do Paulistão 2014 seriam realizadas no estádio do Pacaembu. Quando a bola rolou, o Santos tentou se impor no campo ofensivo e o Ituano buscou explorar os contragolpes.

Aos 21 minutos do primeiro tempo, o meia Cristian, principal jogador do Ituano naquela campanha, anotou o gol que abriu vantagem para o lado rubro-negro. Ainda na primeira etapa, o meio-campista Cícero, um dos destaques da campanha do Santos, desperdiçou um pênalti.

Na segunda etapa, o panorama se manteve e ambos os lados tiveram grandes oportunidades de movimentar o placar, mas tanto Vagner, quanto Aranha, tiveram tarde inspirada e evitaram o sucesso ofensivo dos rivais.

No jogo da volta, o Santos devolveu o placar, mas o Ituano conquistou o título após cobrança de penalidades. O clube rubro-negro alcançou o segundo título da elite paulista de sua história.

O cara
Ao lado de Marcinho, meia-atacante que jogou por São Caetano, Palmeiras e Corinthians, Cristian era um dos pilares do elenco rubro-negro e foi decisivo naquele 6 de abril, no Pacaembu.

"Lembro não só do gol, mas sim do jogo, pois foi emblemático e um dos mais importantes para mim. A nossa equipe era madura e quando não conseguíamos finalizar a jogada rápida em contragolpes, conseguíamos ficar com a bola e foi o que aconteceu no gol. O Paulinho segurava bem a bola e eu passava. Neste lance, o Caucaia achou o Esquerdinha que veio pelo meio e tocou de primeira. Eu vi o espaço e passei. No lance, ninguém sabe disso, só eu mesmo, tive que segurar a passada por causa do vento que trouxe a bola para mim e consegui fazer o gol", relembrou Cristian.

O camisa 10 ainda falou da importância do gol, o seu primeiro e único naquele torneio. "Na semana da final, fiz um golaço no recreativo, no ângulo, mas de perna esquerda. O pessoal brincou comigo falando que o goleiro tinha deixado e que queria fosse na final. Ai no jogo consegui bater firme, sem chances para o Aranha, que era um excelente goleiro ", brincou.

Cristian ainda destacou a atuação coletiva rubro-negra naquela oportunidade. "Foi nosso melhor jogo no campeonato, por incrível que pareça. Muitos times fazem grandes apresentações na fase de classificação, mas chegam nas decisões e não repetem o mesmo desempenho. Nós tínhamos aquele receio de como íamos nos comportar, mas fomos melhor do que esperávamos, principalmente nesse primeiro jogo e poderíamos até ter saído com vantagem se o Rafael Silva tivesse tocado para o Esquerdinha", completou.

FICHA TÉCNICA:
Ituano 1 X 0 Santos
Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP);
Data: 6 de abril de 2014;
Público: 27.114 pagantes.

Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral;
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo.

Ituano
Vágner;
Dick, Alemão, Anderson Salles e Dener;
Josa, Paulinho (Marcelinho), Jackson Caucaia e Cristian (Claudinho);
Rafael Silva (Gercimar) e Esquerdinha.
Técnico: Doriva.

SANTOS
Aranha;
Bruno Peres, Neto, David Braz e Emerson;
Arouca, Cícero e Gabriel (Rildo);
Geuvânio (Stéfano Yuri), Leandro Damião e Thiago Ribeiro (Alan Santos).
Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Gol: Cristian (21´)

Por Luiz Minici, especial para FPF