Paulista

Guarani e Magnum chegam a acordo por repasse mensal durante pandemia; veja desfecho

Empresa de Roberto Graziano é responsável pelo pagamento de R$ 350 mil por compra do Brinco de Ouro

Publicado em 16/06/2020
por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 16 (AFI) - O Guarani chegou a um acordo com a Magnum, responsável por arrematar o Brinco de Ouro da Princesa em 2015, e colocou ponto final em relação ao repasse mensal durante a pandemia do novo coronavírus.

Após a empresa dirigida por Roberto Graziano propor interrupção do pagamento de R$ 350 mil por três meses - maio, junho e julho -, graças às dificuldades econômicas em meio à queda natural de receitas, o Conselho de Administração conseguiu reduzir o 'hiato' para 60 dias.

Magnum interrompeu repasse ao Guarani por dois meses - Letícia Martins / Guarani FC
Magnum interrompeu repasse ao Guarani por dois meses

Com corte da verba por dois meses, Bugre projeta retomada dos pagamentos a partir de 15 de julho, dia em que o valor é transferido à Justiça do Trabalho - 20% é retido na fonte para quitação das dívidas trabalhistas.

Desta forma, das dez parcelas adiantadas pela Magnum na gestão de Horley Senna, durante trajetória do acesso na Série C de 2016, sete estão abatidas - cinco com Palmeron Mendes Filho e duas com Ricardo Miguel Moisés - ainda há três pagamentos para serem negociados no futuro.

CONTAS

Mesmo sem R$ 700 mil da companhia, o time campineiro tem intenção de quitar, nos próximos dias, o pagamento dos salários do elenco.

A diretoria ainda conta com a verba de direitos de transmissão, transferida pela CBF, e quase R$ 1 milhão, levantado com patrocinadores e desapropriação de imóveis.