Eliminatórias Europeias

Milésimo gol de Pelé "estabeleceu uma ponte entre a realidade e a fantasia"

Feito do rei do futebol, conquistado em jogo contra o Vasco, completará 50 anos no dia 19 de novembro

Publicado em 15/11/2019
por Agência Estado

Campinas, SP, 15 - "Pode sair hoje o mais esperado gol de Pelé." Esse foi o título da reportagem do Estado no dia 19 de novembro de 1969 sobre a partida entre Vasco e Santos, que seria realizada no Maracanã naquela noite. Explica-se o motivo pelo qual o milésimo gol de Pelé era tão aguardado pelos torcedores: ele quase foi marcado no Recife, em João Pessoa saiu o 999.º e em Salvador um chute no penúltimo minuto de jogo bateu na trave.

Desde as primeiras horas da manhã, centenas de torcedores começaram a se aglomerar na porta no hotel Novo Mundo, na praia do Flamengo, onde Pelé estava hospedado com a delegação do Santos. O Rei concedeu entrevistas para jornalistas estrangeiros que vieram ao Brasil para acompanhar o seu milésimo gol. "É um acontecimento que interessa a todos", justificavam.

Até o cônsul da Nigéria foi ao hotel para ver Pelé de perto. A expectativa era tanta que emissoras de TV fizeram a transmissão da partida mesmo diante de uma proibição imposta pela CBD, a Confederação Brasileira de Desportos, atual CBF.

Choveu muito naquele 19 de novembro no Rio, mas a tempestade não impediu que 65.157 pessoas fossem ao Maracanã. O jogo foi uma festa do começo ao fim. Antes do apito inicial, um dos vestiários do Maracanã recebeu uma placa e o nome de Pelé, em homenagem ao golaço marcado pelo Rei contra o Fluminense em 1963 - o lance, inclusive, deu origem à expressão "gol de placa". Uma das cabines de transmissão também passou a ter o nome de Pelé.

Foto: Arquivo / Santos FC
Foto: Arquivo / Santos FC
O MOMENTO
O milésimo gol saiu somente no fim do segundo tempo, mais precisamente às 23h17. Pelé correu para receber passe em profundidade de Clodoaldo e foi derrubado dentro da área. Pênalti. Depois de muita reclamação dos jogadores do Vasco, principalmente do goleiro Andrada, o atacante, enfim, pôde partir para a cobrança. "A bola branca atravessou a linha de gol aos 34 minutos, 12 segundos e 9 décimos, para estabelecer uma ponte entre a realidade e a fantasia: o milésimo gol de Pelé", publicou o Estado no dia 20 de novembro de 1969.

Todos aplaudiram Pelé. O Rei foi cercado por fotógrafos, cinegrafistas e repórteres. Nos ombros de Agnaldo e Carlos Alberto, ele deu a primeira volta olímpica no Maracanã. Quando o locutor anunciou a sua substituição por Jair Bala, ouviu-se vaias. Na sequência, no entanto, Pelé surgiu vestindo uma camisa do Vasco, branca com uma faixa preta na diagonal. As vaias, então, foram abafadas por aplausos. O Rei deu nova volta olímpica. Quando terminou, ainda restavam dez minutos de jogo, mas o público, satisfeito, já começava a deixar o estádio.