Paulista

Futebol se despede de Luiz Carlos Ferreira, o eterno "Rei do Acesso"

A repercussão no meio do futebol foi realmente muito grande, com seu nome sendo citado na imprensa de todo Brasil

Publicado em 14/09/2020
por Agência Futebol Interior
Luiz Carlos Ferreira
Luiz Carlos Ferreira

Leme, SP, 14 (AFI) – Dezenas de esportistas, ex-atletas, dirigentes e amigos foram dar o último adeus ao técnico Luiz Carlos Ferreira, o Ferreirão, que foi enterrado no final da tarde no Cemitério São João Batista, em Leme.

O “Rei dos Acessos” morreu domingo à tarde, aos 71 anos, vítima de câncer na cabeça, doença que o incomodava nos últimos dois anos.

GRANDE REPERCUSSÃO
A repercussão no meio do futebol foi realmente muito grande, com seu nome sendo citado na imprensa de todo Brasil, especialmente em São Paulo, onde dirigiu dezenas de clubes e com trabalhos vitoriosos.

O mesmo se viu nas redes sociais, com muitas mensagens de solidariedade à família e sempre com uma última homenagem a este profissional do futebol que sempre viveu intensamente.

Em suas redes sociais, a Federação Paulista de Futebol lamentou a morte do treinador, que “deixa um legado de conquistas no futebol paulista”.

Galli e o adeus ao grande parceiro
Galli e o adeus ao grande parceiro
GALLI EM LEME

O empresário José Aparecido Galli dedicou a segunda-feira para se despedir do grande parceiro na sua vitoriosa trajetória dentro da Matonense. Galli, como dirigente, e Ferreira, como técnico, brilharam como nunca na década de 90 em Matão, conseguindo acessos seguidos da antiga Segundona até a elite estadual. Muito emocionado, Galli lamentou a perda do grande amigo:

“Vim aqui prestar minha última homenagem. Tivemos muitas glórias juntos e trouxe uma camisa da Matonense e coloquei em cima do seu caixão. Ele deu muitas alegrias ao povo de Matão. Isso não tem preço. É algo que fica para sempre, entra para a história”.

MUITOS CLUBES
Além de anos de sucesso na Matonense, Ferreira fez história pelo Interior de São Paulo, conquistando 21 acessos pelos mais diferentes clubes. Fez trabalhos destacados, além da Matonense, no Marília, no São Caetano e no Santo André.

Mas passou por dezenas de clubes como Guarani, Portuguesa, Juventus, XV de Piracicaba, Rio Branco de Americana, Marília, Noroeste, Corinthians de Presidente Prudente, Internacional de Limeira entre tantos outros.