Flávio Guerra comenta problemas com o VAR no Brasileirão

"Daqui a pouco os times e até a imprensa como já escutei e li por ai irão pedir para cancelar o uso da tecnologia", opina o ex-árbitro

Publicado em 13/06/2019
por Teste

NEM O VAR SALVA?
É inacreditável, mas estamos vendo mais erros e polêmicas após a implantação do famoso VAR no Campeonato Brasileiro do que quando não tínhamos esse recurso. Daqui a pouco os times e até a imprensa como já escutei e li por ai irão pedir para cancelar o uso da tecnologia.

É incrível a quantidade de reclamações e pedido de anulação de partidas devido as decisões da arbitragem e na maioria delas acreditem com o auxilio do VAR. Fora isso a arbitragem vive uma péssima fase com árbitros sem personalidade errando até por desconhecimento de regra.

NÃO É SÓ NA SÉRIE A
Se na série A os árbitros conseguem errar com auxilio do VAR na série B sem a tecnologia não é muito diferente. No jogo entre Guarani x Coritiba na ultima terça feira o árbitro Léo Simão quase comete um erro gravíssimo ao paralisar a partida para atendimento ao goleiro do Wilson do Coritiba quando a bola estava de posse do time do Guarani e reiniciar o jogo com bola ao chão para o time adversário.

Para piorar na sequencia do lance o time paranaense marca o gol totalmente irregular, pois com a modificação da regra o bola ao chão teria que ser executado apenas pelos jogadores do bugre. Por sorte, após 7 minutos de paralisação alertado pelo quarto árbitro anulou o gol e reiniciou o jogo corretamente com bola ao chão para o time mandante.

PÊNALTI CLARO
Já na partida entre CSA x Flamengo não consigo entender como o árbitro Douglas Flores, que fazia sua estreia na série A, não marcou pênalti claro para o CSA após Willian Arão do Flamengo saltar com os braços abertos e cortar a trajetória da bola dentro da área. O jogador do Flamengo foi totalmente imprudente e numa ação de bloqueio não levou em consideração o risco da penalidade.

Flávio Guerra, colunista do Futebol Interior
Flávio Guerra, colunista do Futebol Interior
O árbitro ainda teve uma segunda chance de consertar a sua decisão quando foi acionado pelo VAR. Só que não. Após cerca de 4 minutos revendo o lance pelo monitor, inacreditavelmente ele manteve sua decisão de não marcar a penalidade para sorte dos flamenguistas e revolta dos alagoanos. Alguns lances de mão na bola/bola na mão são realmente difíceis de interpretar, mas esse especificamente era um lance fácil que daria pra marcar até sem o auxilio do VAR.

TEM MAIS
Já no clássico paulista entre Corinthians x Santos aconteceu um erro que em nível de serie A não pode acontecer. O assistente Carlos Berkenbrock por pura falta de concentração (só pode ser) marcou impedimento do atacante corintiano após cobrança de tiro de meta do goleiro Walter. Todos sabem ou deveriam saber que em tiro de meta não existe impedimento.

Para completar a noite infeliz do mesmo assistente ele parou um ataque do Corinthians marcando impedimento em lance muito ajustado de Danilo Avelar que Clayson finaliza e faz um belo gol quando a partida já estava paralisada. A orientação neste tipo de lance é esperar a conclusão da jogada e só depois levantar a bandeira para informar um possível impedimento que será revisado pelo VAR.

IMAGEM DA TV E IMAGEM DO VAR
No jogo entre Internacional x Bahia o primeiro gol do Inter saiu de uma jogada bem ajustada para o assistente que corretamente aguardou a conclusão do lance que resultou em gol e só depois levantou sua bandeira para que o lance fosse revisado pelo VAR. Para surpresa de todos, o gol foi validado após mais de três minutos de checagem pela equipe do VAR.

Surpresa porque pelas imagens da TV o jogador do Internacional está em posição de impedimento no momento do passe de seu companheiro. Ai fica a dúvida porque ninguém tem acesso as imagens do VAR e pela TV o gol teria que ser anulado. Será que a CBF vai divulgar essas imagens e legitimar a decisão?

Pra finalizar, meu amigo Gaciba terá muito trabalho pela frente e deve usar essa parada da Copa América para dar uma chacoalhada na rapaziada. A Copa América chegou numa boa hora, principalmente para arbitragem.