Brasileiro

Fla emplaca 'dupla de ouro' e Seleção FI da 36ª rodada do Brasileirão vem no 4-4-2

Além do campeão brasileiro, Athletico-PR, Fortaleza, Vasco, Ceará, Inter, Bahia, Santos e Grêmio foram destaques

Publicado em 02/12/2019
por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 02 (AFI) - Chegou ao fim nesta segunda-feira a 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. O campeão Flamengo passou fácil pelo Palmeiras e causou a demissão de Mano Menezes. Melhor para o Santos, que está sozinho na vice-liderança.

O Grêmio goleou o São Paulo e se classificou para a Copa Libertadores, assim como o próprio Tricolor, que contou com uma "ajudinha" do ídolo Rogério Ceni. As outras vagas devem ser preenchidas por Internacional e Corinthians, mas Fortaleza, Goiás e Bahia e ainda sonham.

RAPOSA NO BURACO
Já na briga contra o rebaixamento, o Cruzeiro se vê cada vez mais em uma situação delicada. Após perder para o Vasco na noite desta segunda-feira, por 1 a 0, o time mineiro não depende mais das suas forças e a partir de agora terá que torcer contra o Ceará, seu principal rival contra o rebaixamento.

A escalação dos melhores da 35ª rodada é essa:

Santos (Athletico-PR);

Madson (Athletico-PR), Valdo (Ceará), Victor Cuesta (Internacional) e Bruno Melo (Fortaleza);

Guarín (Vasco); Flávio (Bahia), Evandro (Santos) e Arrascaeta (Flamengo);

Gabigol (Flamengo) e Luciano (Grêmio). Técnico: Rogério Ceni (Fortaleza).

Luciano marcou dois gols na vitória do Grêmio sobre o São Paulo
Luciano marcou dois gols na vitória do Grêmio sobre o São Paulo

CONFIRA A SELEÇÃO FI DA 36ª RODADA:

Goleiro: Santos (Athletico-PR)
Depois que voltou da Seleção Brasileira, onde disputou dois amistosos, o goleiro Santos está voando em campo com grandes defesas. Nesta rodada, ele ajudou o Athletico-PR a empatar com o Botafogo, fora de casa, pelo placar de 1 a 1. Se não fosse o arqueiro, o time carioca teria feito o segundo gol e os rumos do duelo poderiam ter sido outros.

Lateral-direito: Madson (Athletico-PR)
O sistema defensivo teve muito trabalho depois que Vitinho foi expulso, pois isso aumentou a pressão do Ceará, que conseguiu abrir o placar aos 42 minutos. A derrota, porém, não aconteceu graças ao gol marcado por Madson no último lance. O lateral apareceu na área e desviou de cabeça para deixar tudo igual.

Zagueiro: Valdo (Ceará)
A partida na Arena Castelão foi movimentada, com os dois times buscando o gol. Por isso, a zaga alvinegra teve trabalho para controlar a pressão e segurou até os 48 minutos do segundo tempo, quando sofreu o empate em uma bola aérea. Além de fazer sua parte lá atrás, Valdo se arriscou no ataque e deu assistência para o gol de Mateus Gonçalves.

Victor Cuesta representa o Internacional na Seleção FI
Victor Cuesta representa o Internacional na Seleção FI

Zagueiro: Victor Cuesta (Internacional)
Como de costume, fez uma partida bastante sólida, de marcação muito firme e posicionamento inteligente. Os jogadores do Botafogo tiveram muita dificuldade em encontrar algum espaço quando marcados pelo zagueiro, que ganhou por cima e por baixo, além de quase ter marcado um gol.

Lateral-esquerdo: Bruno Melo (Fortaleza)
Fortemente identificado com o time tricolor, teve participação vital na histórica vitória por 2 a 1 sobre o Goiás, resultado que selou a vaga inédita para a disputa da Sul-Americana. O lateral fez um jogo muito intenso na defesa, apoiou com inteligência no ataque e usou a cabeça para marcar o primeiro gol da partida.

Volante: Guarín (Vasco)
Com a vitória sobre o Cruzeiro na noite desta segunda-feira, o Vasco se garantiu de vez na elite nacional no próximo ano. Sem dúvidas, um dos principais responsáveis por esse feito, foi o volante Guarín. Foi dos pés do meio-campista que saiu o único gol da vitória. De quebra, o time carioca deixou o Cruzeiro em uma situação ainda mais complicada contra o rebaixamento para a Série B.

Volante: Flávio (Bahia)
Um dos jogadores mais regulares do Bahia nesta temporada. Não é a toa que o time sente bastante quando ele não está em campo. Flávio é aquele volante que ajuda muito na marcação, mas também tem qualidade para aparecer no ataque. Tanto que foi sua assistência para Gilberto abrir o placar no Rei Pelé.

Meia: Evandro (Santos)
Viveu uma noite iluminada na vitória por 2 a 0 sobre a Chapecoense, na Vila Belmiro. Apesar de não ter aparecido tanto para o jogo, bastou que participasse de duas jogadas para ser decisivo. Primeiro, deu a assistência, em um belo cruzamento, para o gol marcado por Lucas Veríssimo. Depois, estava bem posicionado para marcar o segundo.

Meia: Arrascaeta (Flamengo)
Após conquistar o título da Libertadores e do Brasileirão, o Flamengo fez do Palmeiras a sua principal vítima de 2019. Com verbas parecidas e grandes contratações, o time rubro-negro voou em cima dos paulistas. Tanto que neste domingo, venceu o alviverde, pelo placar de 3 a 1 em plena Arena. Arrascaeta, foi mais uma vez o destaque dos carioca, participando de todas as jogadas de ataque.

Gabigol chegou aos 24 gols no Brasileirão ao balançar as redes contra o Palmeiras
Gabigol chegou aos 24 gols no Brasileirão ao balançar as redes contra o Palmeiras

Atacante: Gabigol (Flamengo)
Não tem como negar que vive o melhor momento da sua carreira. O visual mudou, mas o futebol segue o mesmo. Diante do Palmeiras, o atacante mostrou mais uma vez porque é um dos melhores finalizadores do país e balançou as redes de Jaílson duas vezes. Com isso, chegou aos 24 gols e se isolou como artilheiro do Brasileirão depois de ver Bruno Henrique encostar.

Atacante: Luciano (Grêmio)

O experiente jogador foi o 'cara' na vitória tricolor sobre o São Paulo. Depois de um primeiro tempo pouco participativo, Luciano desencantou na etapa final. Primeiros, aos 10 minutos, converteu pênalti com categoria, abrindo o placar. Depois, aos 16, aproveitou passe de Maicon após bela trama ofensiva, para, dentro da área, estufar as redes do goleiro Tiago Volpi e fechar o 3 a 0!

Técnico: Rogério Ceni (Fortaleza)
O seu trabalho no Fortaleza é digno de aplausos. No último domingo, diante de um Serra Dourada lotado, o Leão do Pici não se intimidou e venceu por 2 a 1. Além de garantir vaga na Sul-Americana, o clube manteve vivo o sonho de disputar a Libertadores. Se Rogério Ceni não tivesse dado uma "escapadinha" no Cruzeiro, os resultados poderiam ser ainda mais expresssivos.