Ex-atacante do Santos desmente fake news de sua morte: "É uma sacanagem que fizeram"

Paulinho McLaren está bem em sua casa em São João da Boa Vista, no interior de São Paulo

Publicado em 13/08/2020
por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 13 (AFI) – Em tempos de desinformação e fake news, é cada vez mais comum boatos ganharem grande proporção nas redes sociais. O alvo mais recente desse tipo de crime virtual foi o técnico e ex-atacante Paulinho McLaren, de 56 anos.

Na noite dessa quinta-feira, circulou a informação de que Paulinho McLaren teria se envolvido em um acidente de carro próximo a Curitiba e teria falecido.

O Portal Futebol Interior entrou em contato com o ex-jogador para desmentir a informação. Paulinho McLaren garantiu que está bem e seguro em sua casa, em São João da Boa Vista, no interior de São Paulo.

“Estou atendendo o Brasil todo aqui. Agradeço o carinho e a preocupação. É uma sacanagem que fizeram também com o Capitão, o Darci, vários jogadores e outras pessoas famosas, mas eu estou bem, Graças a Deus”, tranquilizou Paulinho McLaren.

ASSISTA O VÍDEO ENVIADO POR PAULINHO MCLAREN:

TÉCNICO E EX-ARTILHEIRO
Paulo César Vieira Rosa, mais conhecido como Paulinho McLaren, é um técnico de futebol e ex-atacante.

Formado em educação física, Paulinho é técnico de futebol desde 2008, passando por clubes menores do Interior de São Paulo como Rio Claro, São José e Taubaté. Como jogador também rodou bastante antes de brilhar como goleador de grandes clubes.

Paulinho passou por grandes clubes como Cruzeiro, Inter-RS e Santos
Paulinho passou por grandes clubes como Cruzeiro, Inter-RS e Santos

RODOU O INTERIOR

Nascido em Igaraçu do Tietê (SP), Paulinho começou a carreira defendendo times de menor expressão como Bandeirante de Birigui, Serra Negra e Sãocarlense no início dos anos 80. Só em 1989 é que teve a chance num grande clube, o Atlético Paranaense.

Mas seu primeiro grande momento ele viveu no Santos, entre 1989 e 1992, onde marcou muitos gols e acabou vendido ao Porto, de Portugal.

Em 1993 ele voltou ao Brasil pelo Internacional-RS, passando depois por Cruzeiro e Portuguesa, antes de defender o Bellmare, do Japão, em 1996. Entre 1997 e 1999 passou por Portuguesa, Fluminense, Atlético Mineiro e Santa Cruz, onde encerrou a carreira depois de uma rápida passagem pelo Miami, dos Estados Unidos.