Baiano

BAIANO: Em entrevista, presidente de vice-campeão baiano ameaça acionar a justiça

Albino Leite soltou o verbo em entrevista à Rádio Feliz FM

Publicado em 16/08/2020
por Agência Futebol Interior

Alagoinhas, BA, 16 (AFI) - Encerrado no último sábado (8), o Campeonato Baiano pode ganhar novos capítulos. Isso porque o presidente Albino Leite, do Atlético Alagoinhas, colocou a boca no trombone e ameaça acionar a justiça. Segundo ele, o jogo diante do Bahia pode ser anulado caso seja comprovada a saída de bola na jogada a qual originou o gol do Tricolor de Aço.

"Eu não posso falar que foi garfado. Solicitei as imagens do VAR. Enquanto não tiver isso na mão, não posso ter um resultado do meu ponto de vista. Preciso analisar. Mas se essa bola tiver realmente 100% fora, meu irmão (sic), aí as ações jurídicas e esportivas vão ter de trabalhar, trabalhar direitinho", afirmou.

Em entrevista à Rádio Feliz FM, com tom de irritação em alguns momentos, o mandatário do clube interiorano rasgou o verbo quanto a vários assuntos. Além da polêmica envolvendo a final, também fez questão de frisar a ausência de pagamento da TV patrocinadora do campeonato, cobrando a dívida. Dentre outros assuntos, também falou do time e da folha salarial.

Presidente do Atlético Alagoinhas falou sobre temas ligados ao Campeonato Baiano - Foto: Reprodução
Presidente do Atlético Alagoinhas falou sobre temas ligados ao Campeonato Baiano
"Olha, nós iniciamos comissão técnica e jogadores em nome de R$ 98 mil. Mas, com a logística toda, sai em torno de R$ 200 mil. Na segunda fase, tivemos uma conversa franca com todos os jogadores. Entendemos: nossos patrocinadores estavam e estão com dificuldades. Finalizamos a folha com R$ 60 mil. Da TV eu só recebi R$ 40 mil (de R$ 70 mil).", disse em outro momento.

Além disso, ele denuncia o fato de, no dia anterior ao jogo, o hotel onde o clube e jogadores estavam hospedados ter sido invadido por empresários de jogadores. Segundo ele, todos foram expulsos.

"Teve muitas coisas sujas na véspera do jogo. Empresário invadindo o hotel, a gente colocando empresário pra correr. Oportunistas, oportunistas. É porque na hora eu não tava lá, porque se eu tivesse o cara ia tomar uma surra ali", finalizou.