Mineiro

Clube da Série A investiu R$253 milhões em 2020; Folha salarial chegou a R$15 milhões

Balanço financeiro do Atlético-MG revela grandes gastos do Galo. Valor não está incluso Hulk, Tchê Tchê e Nacho Fernández

Publicado em 04/05/2021
por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 04 (AFI) - O Atlético-MG investiu pesado na última temporada para montar um time competitivo, mas os títulos não vieram. Com ajuda de investidores, foram R$ 253 milhões gastos na contratação de atletas em 2020, e uma folha salarial de R$15 milhões.

O terceiro lugar no Campeonato Brasileiro do ano passado foi a prova de evolução de expectativa para um Galo que promete brigar na ponta em 2021.

Paulo Braz é diretor financeiro do Galo - Foto: Bruno Cantino / Atlético-MG
Paulo Braz é diretor financeiro do Galo - Foto: Bruno Cantino / Atlético-MG

CONCORRÊNCIA PODEROSA

Durante um evento que apresentou os números financeiros do clube, um gráfico demonstrou que o Galo teve que aumentar os investimentos se quisesse continuar competindo com Flamengo, Palmeiras, Inter, São Paulo e Grêmio.

"Existe uma relação direta entre o investimento que você faz no futebol, aos salários pagos no futebol, com o desempenho em campo", diz Paulo Braz, diretor financeiro do Galo.

MEGA VALORIZAÇÃO

Os R$ 253 milhões investidos em jogadores, de acordo com o balanço financeiro do clube, fez com que o valor de mercado do elenco passasse de R$ 197 milhões ao fim de 2019 para R$ 630 milhões em dezembro de 2020. E nesse valor não estão inclusos Hulk, Nacho Fernández, Dodô e Tchê Tchê, as contrações de 2021.

Crescimento na folha salarial do Atlético-MG - Foto: Reprodução
Crescimento na folha salarial do Atlético-MG - Foto: Reprodução

FOI QUASE

Paulo braz comentou sobre a valorização do elenco e o campeonato que o Galo fez no último ano, onde ficou muito próximo dos líderes.

"Nós investimos R$ 253 milhões em atletas. Tínhamos R$ 197 milhões. Quando comparamos o valor de mercado, haja visto o desempenho do time, em terceiro lugar, na ponta do Campeonato inúmeras vezes, apenas três pontos do líder. A nossa avaliação em cima do CIGA (Centro de Inteligência do Galo), os atletas hoje valem R$ 630 milhões. Investimos 253 milhões e houve valorização de R$ 180 milhões. A regra contábil não permite, mas veja para onde teria o nosso patrimônio, que é bem maior que o passivo do clube" disse o dirigente.