Copa do Brasil

Athletico-PR x Internacional - Começa a decisão da Copa do Brasil!

Vencedores no cenário sul-americano nos últimos anos, os dois times perseguem um título nacional

Publicado em 11/09/2019
por Agência Futebol Interior

Curitiba, PR, 10 (AFI) – As torcidas estão ansiosas e a hora está chegando. Nessa quarta-feira, às 21h30, Athletico-PR e Internacional se enfrentam na Arena da Baixada na partida de ida da final da Copa do Brasil.

Os dois times vivem uma situação inusitada: enquanto crescem no cenário internacional, passam por um jejum de títulos nacionais e esperam finalmente voltar a levantar a taça de uma competição importante dentro do País.

TÍTULO INÉDITO
O Athletico nunca conquistou a Copa do Brasil e venceu o Brasileiro em 2001. Desde então, foi campeão da Copa Sul-Americana e se estabeleceu como um clube frequente nas disputas da América do Sul.

Já o Inter não é campeão brasileiro desde 1979 e venceu a Copa do Brasil apenas uma vez, em 1992. Por outro lado, fez jus ao nome em anos recentes e conquistou seis títulos internacionais (Libertadores de 2006 e 2010, Recopa de 2007 e 2011, Sul-Americana de 2008 e Mundial de 2006).

DÚVIDAS NO FURACÃO
Para essa partida, o técnico Tiago Nunes deixou algumas dúvidas no ar e preferiu não confirmar a equipe titular do Athletico-PR.

Como Jonathan segue lesionado, Khellven e Madson disputam a posição na lateral-direita. Da mesma forma, Lucas Halter e Robson Bambu brigam para atuar na zaga ao lado de Léo Pereira, que volta de suspensão.

A extensa lista de desfalques ainda tem o zagueiro Pedro Henrique, os laterais Adriano e Abner Vinícius e o meia Everton Felipe, que não estão inscritos na competição, além de Bruno Nazário, lesionado, e de Thiago Heleno e Camacho, que seguem suspensos por seis meses por doping.

FORÇA MÁXIMA
No Inter, o técnico Odair Hellmann poupou os titulares da partida contra o São Paulo, pelo Brasileirão, para poder contar com força máxima nessa quarta. A única dúvida é o lateral Uendel, que se recupera de lesão e pode dar lugar a Zeca.

A tendência é que o técnico repita a escalação que deu certo na vitória por 3 a 0 sobre o Cruzeiro, na partida de volta da semifinal, com D’Alessandro como principal armador atuando atrás da dupla de ataque formada por Nico López e Paolo Guerrero.