Paulista Feminino

Árbitra Assistente paulista do Quadro FIFA diz adeus à arbitragem mundial

Tatiane Sacilotti, assistente que esteve no Mundial da França, optou por ser mãe e largou a arbitragem

Publicado em 02/09/2019
por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 02 (AFI) - A árbitra assistente Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo, integrante do Quadro FIFA, resolveu encerrar sua carreira. Em jogo realizado na tarde deste domingo, no Pacaembu, que valeu a disputa do terceiro lugar do Torneio Uber de Futebol Feminino, Tatiane resolveu encerrar a carreira e acabar com o sonho do passado de ser árbitra para iniciar o sonho atual de ser mãe. Com a presença de quase 16 mil torcedores, ela entrou pela última vez em um campo de futebol ara exercer sua profissão.

Árbitra do Quadro Paulista desde 2004, do Quadro Nacional desde 2006 e do Quadro FIFA desde 2014, Tatiane viveu muitos momentos bons e ruins na profissão, mas guarda somente os bons. Como exemplo a última Copa do Mundo Feminina realizada na França em julho deste ano. Porém, um sonho maior falou mais alto. Casada desde novembro de 2018, Tatiane resolveu apostar no sonho de ser mãe e abandonar a arbitragem para ser mãe completa e não apenas de figuração.

"Eu tenho um desejo muito grande de ser mãe. Tudo na nossa vida são ciclos onde fecha um abre outro. Eu me doei muito por 16 anos para a arbitragem e agora acho que tá na hora de me doar para minha família. Eu quero ser mãe verdadeira. Não quero ter filho para deixar para os outros criarem. Quero dar a educação que eu tive e quero dar tudo que eu puder para meus filhos", disse Tatiane muito emocionada já no vestiário do Pacaembu.

Tatiane Sacilotti se despediu da arbitragem e do escudo FIFA para ser mãe - Divulgação
Tatiane Sacilotti se despediu da arbitragem e do escudo FIFA para ser mãe

Sobre a decisão, Tatiane disse que foi tudo de caso muito bem pensado e teve todo o apoio do marido.

"Nós sempre conversamos, temos um bom diálogo, e foi algo pensado entre nós dois e ele me apoiaria em qualquer decisão. Se eu quisesse continuar ele iria me apoiar e se quisesse encerrar a carreira ele também iria apoiar. Carregar este escudo FIFA foi um sonho que desde quando eu entrei na escola de arbitragem pensei, será que um dia terei este escudo no meu peito. Consegui e por quatro anos carreguei com muito orgulho, mas minha decisão é irrevogável e meu novo sonho agora é ser mãe", finalizou Tatiane.

Também emocionado, o presidente do SAFESP, Arthur Alves Júnior, desejou toda felicidade do mundo para Tatiane e entendeu a decisão que é pensada e madura para a questão.

"A arbitragem vai perder uma das melhores assistentes do mundo. A Tati ainda é nova e tem muita coisa para mostrar e ensinar para aqueles e aquelas que estão começando a carreira. Mas a decisão é dela e tem que ser respeitada. Ela deixa o sonho de ser árbitra para ser o sonho de ser mãe. E mostra todo seu amadurecimento quando diz que quer ser mãe de forma integral. Mãe é isso. É dar amor, carinho e estar perto de sua cria. Parabéns Tati pela força e coragem. Desejo o mesmo sucesso que você teve na arbitragem nesta empreita de ser mãe", falou o mandatário do SAFESP.