Brasileiro

Após críticas de Cicinho, Atlético-MG rebate: "Para de falar besteira"

O lateral perdeu uma ação contra o Galo e terá que pagar R$ 3,2 milhões

Publicado em 30/06/2020
por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 30 (AFI) - Cicinho soltou o verbo contra o Atlético Mineiro em uma entrevista com o jornalista Jorge Nicola nesta segunda-feira. As alfinetadas irritaram os dirigentes do Galo, que foram a público rebater o lateral campeão da Libertadores e do Mundo com o São Paulo, em 2005.

Cicinho perdeu no último ano uma ação contra o Atlético Mineiro e foi obrigado a pagar R$ 3 milhões. Por isso, deixou claro que seu desejo é que o clube mineiro se dê mal no meio do futebol

“No último ano, eu pedir uma ação judicial para o Atlético Mineiro. Existia uma cláusula e eu tinha que ter notificado se fosse sair do clube. Tive que pagar R$ 3 milhões de reais ao clube. Então para que o torcedor entenda, nunca ganhei dinheiro nenhum do Atlético. Tudo que ganhei por lá em quase três anos, eu tive que pagar agora para que meus bens não fossem penhorados”, afirmou o ex jogador, que completou.

“Não tenho nada contra o torcedor, mas o Atlético não é uma memória agradável pra mim. Teve está falta de honestidade do clube, que perdeu um dinheiro para o Banco Axial, então eu tive que pagar. Não guardo mágoa, tudo foi resolvido, mas torço para que o Atlético Mineiro não se dê bem.”

Cicinho disparou contra o Atlético
Cicinho disparou contra o Atlético
REBATEU
Nesta terça-feira, o vice-presidente do Atlético, Doutor Lásaro Cândido usou o Twitter para explicar a situação envolvendo o ex-lateral. Em uma luta judicial com o atleta, o Galo foi condenado a pagar R$ 18 milhões. Após acordo, a dívida caiu para R$ 9,6 milhões.

A partir daí, o Atlético Mineiro processou o lateral, que foi condenado a pagar R$ 10 milhões ao Galo, que aceitou o pagamento de R$ 3,2 milhões. O Galo afirmou que deu para o atleta o mesmo valor do desconto recebido anteriormente pelo clube.

"Ele falou muita bobagem. Cicinho jogou aqui até 2003, entrou na Justiça e conseguiu a liberação. Mas Atlético e o jogador tinham um contrato com a Axial, que tinha 50% dos direitos econômicos do atleta. A empresa processou os dois conjuntamente e ambos foram condenados em torno de R$ 18 milhões. Conseguimos reduzir para R$ 9 milhões, mas Cicinho não participou desse acordo e ficou escondido. O Atlético, então, o processou. O valor da dívida, no pacote, era de R$ 10 milhões. Fizemos o mesmo desconto e ele pagou R$ 3,2 milhões. Ele deve agradecer o Atlético, pois o time facilitou a vida dele. Negociou com ele em condições excepcionais. Para de falar besteira, Cicinho. A recordação sua é péssima", concluiu.