Paulista

Água Santa aguarda desfecho, mas estuda acionar Justiça por vaga no Paulistão

Fusão articulada por Bragantino e Red Bull abriu caminho para o time de Diadema subir de divisão

Publicado em 15/05/2019
por Agência Futebol Interior

Diadema, SP, 15 (AFI) - A vaga deixada em aberto no Paulistão em razão da parceria entre Bragantino e Red Bull Brasil é causa de muita ansiedade em Diadema, cidade sede do Água Santa. Atento aos próximos acontecimentos, o presidente do clube do ABCD paulista, Paulo Sirqueira, se reuniu com advogados e está preparado para entrar na Justiça, se necessário, para reivindicar o acesso.

“Estou esperando para ver o que vamos fazer. Não sei se é possível na (Justiça) comum. É possível. Vamos esperar. Estão tentando burlar o acesso dentro de campo com uma manobra”, afirmou Sirqueira em entrevista à Folha de São Paulo.

Depois da fusão articulada por Red Bull e Bragantino, surgiram muitas especulações sobre qual equipe ocuparia a vaga pendente na elite do Paulistão, uma vez que os dois times disputavam a divisão. Na prática, o Red Bull assumiu o controle do time de Bragança Paulista, que passará a se chamar RB Bragantino a partir de 2020.

À VENDA?
Diante deste cenário, o clube que levava o nome da empresa de energéticos até o Paulistão da atual temporada continua existindo. É possível, por tanto, que a razão social do time seja vendida a um novo clube, que ficaria com a vaga. O Audax, recém-promovido da Série A3 à Série A2, é especulado como um candidato à compra.

Paulo Sirqueira quer vaga na elite do Paulistão. (Foto: Michel Sanches / Água Santa)
Paulo Sirqueira quer vaga na elite do Paulistão. (Foto: Michel Sanches / Água Santa)

“Eles falam que fizeram parceria com o Bragantino, mas não é parceria coisa nenhuma. Foi venda. Agora fazem manobra para vender o CNPJ do Red Bull. Há uma cricular na Fifa que diz que os times devem ser beneficiados por suas campanhas em campo, não por meio de uma manobra nos bastidores”, reclamou Sirqueira.

DE OLHO
Outro time que está de olho na situação é o São Caetano, rebaixado na atual edição do Paulistão. O clube protocolou em abril, na Federação Paulista de Futebol, um documento oficial alegando que tem direito à permanência na Série A1. O regulamento, no entanto, prevê que esse direito é do time com a melhor campanha entre os semifinalistas eliminados da Série A2, no caso o Água Santa.

No atual formato do Paulistão, dois times são rebaixados e dois sobem. Neste ano, São Caetano e São Bento caíram, enquanto Santo André e Inter de Limeira subiram.