MUNDIAL DE CLUBES: Ex-Corinthians decide, Al Jazira vence e pode encarar o Real

Dona de uma estrela enorme que já calou a temida La Bombonera, Romarinho fez o gol da vitória contra o Auckland City

Publicado em .

Campinas, SP, 06 - O Al Jazira fez a festa da torcida da casa e se garantiu nas quartas de final do Mundial de Clubes nesta quarta-feira, graças a Romarinho. Campeão do torneio em 2012 pelo Corinthians, o atacante aproveitou a única chance que teve para marcar belo gol no primeiro tempo e definir o triunfo do time dos Emirados Árabes Unidos sobre o Auckland City, por 1 a 0, em Al Ain.

Mais uma vez, Romarinho mostrou estrela em um momento decisivo. Autor do gol que selou o empate por 1 a 1 com o Boca Juniors na Argentina e que abriu caminho para o título da Libertadores do Corinthians em 2012, o atacante desta vez aproveitou sobra de longe para encher o pé e garantir a classificação do Al Jazira.

Romarinho fez o gol da vitória do Al Jazira (Foto: Reuters)
Romarinho fez o gol da vitória do Al Jazira (Foto: Reuters)
Com o resultado, o time dos Emirados Árabes terá pela frente na próxima fase o Urawa Red Diamonds, campeão da Ásia, no sábado. Quem avançar, vai encarar o Real Madrid na semifinal.

Já o Auckland City voltou a decepcionar, apesar de ter sido melhor ao longo da partida, e deixou sua nona participação no Mundial - a sétima seguida - logo na estreia.

Nesta quarta, o Al Jazira começou mantendo a posse de bola, mas o Auckland City era mais eficiente quando atacava e criou a primeira boa chance aos 12 minutos. Após bela troca de passes, De Vries cortou a marcação e bateu da entrada da área, travado. Aos 29, Tade e De Vries fizeram boa jogada pela esquerda e a sobra ficou na entrada da área com McCowatt, mas o atacante chutou fraco e facilitou a vida de Ali Khaseif.

APARECEU PARA MARCAR...
Romarinho era figura quase nula na partida até então, a não ser por uma tentativa de elástico no ataque. Mas aos 37, em sua única finalização, ele resolveu o duelo. O atacante fez bela tabela com Mabkhout, que, ao tentar entrar na área, foi travado pela defesa. A sobra ficou com o brasileiro, que encheu o pé de fora da área, no canto direito do goleiro.

O gol tirou um pouco do ímpeto do Auckland, mas por pouco tempo. Na volta para a etapa final, o time neozelandês foi novamente ao ataque e demorou apenas quatro minutos para assustar. Após bela jogada pela direita, De Vries demorou e não conseguiu bater. Mas a sobra ficou com Howieson, que bateu e parou em Ali Khaseif.

Era apenas um prenúncio do que seria o segundo tempo. Mesmo sem grande qualidade técnica, o Auckland apostava na velocidade pelos lados do campo para assustar. Pela esquerda, Howieson se tornava ótima opção e quase deixou tudo igual aos nove, quando invadiu a área e bateu cruzado, com endereço certo, se não fosse o bote preciso de Fares.

Aos 21, Tavano aproveitou rebote e finalizou de fora da área, rente à trave. A blitz continuou aos 27. Tade ganhou da marcação, invadiu a área e encheu o pé, mas em cima do goleiro.

QUASE...
A pressão era intensa e a melhor oportunidade do Auckland aconteceria aos 29 minutos. Howieson recebeu pela esquerda e cruzou rasteiro para De Vries, que bateu à queima-roupa e parou em Ali Khaseif. Seria o último grande momento da equipe, que mais uma vez se despediria logo na estreia.

Confira os resultados da 1ª rodada
Al-Jazira
1
x
0
Auckland City