Libertadores: River Plate tem dura missão após se complicar na altitude

Argentinos fizeram uma das melhores campanhas da primeira fase, mas a derrota foi dura

Publicado em .

Não vai ser fácil. Aliás, será de extrema dificuldade a tarefa do River Plate nesta quinta-feira (21), quando terá pela frente o Jorge Wilstermann, da Bolívia, pelas quartas de final da Taça Libertadores da América. Apesar de atuar diante de sua torcida, os argentinos terão que reverter uma enorme vantagem conquistada pelo visitante ao bater os até então favoritos ao título por 3 a 0 atuando na altitude de Cochabanba. Você que gosta de apostas em futebol terá aqui alguns dados para caso queira colocar um dinheiro neste confronto.

Antes de mais nada é importante mostrar o quanto a situação mudou para nossos Hermanos. Como base de comparação, vamos usar os números do OddsShark.com de antes dos jogos de ida das quartas para o favoritismo ao título. Veja a seguir: River Plate (3.75), Grêmio (5.00), Santos (5.50), San Lorenzo (8.00), Barcelona de Guayaquil (10.00), Botafogo (10.00), Lanus (10.00) e Jorge Wilstermann (17.00). Ou seja, mesmo três brasileiros de qualidade e tradição, mesmo com outros dois argentinos em um confronto a parte e mesmo com o bom time do Equador ainda resistindo, era o River que despontava como principal nome para segurar a taça mais importante da América do Sul naquele momento do campeonato.

Mas o problema estava lá em cima. Mais precisamente a 2.574 metros do nível do mar, onde o Jorge Wilstermann manda os seus jogos na cidade de Cochabamba e utiliza os efeitos da altitude para complicar a vida de quem vai ao estádio Félix Caprilles desafiá-los. E não é exagero nenhum colocar toda essa importância nos problemas que o ar rarefeito e a velocidade da bola causam nos atletas que não estão acostumados a isso. Basta ver o retrospecto dos bolivianos.

Na fase de grupos, o Jorge Wilstermann ocupou o Grupo 5, que teve o Palmeiras como líder com 13 pontos. A única derrota do Verdão na primeira fase foi para os bolivianos, quando jogou mal e sucumbiu após um 3 a 2 em terras bolivianas. A campanha da equipe comandada por Roberto Mosquera, aliás, teve o seu time com 100% de aproveitamento em casa. Nos outros dois jogos, uma vitória por 2 a 1 diante do Atlético Tucumán e um atropelo para cima do Peñarol por 6 a 2. Os nove pontos foram suficientes para classificar o time da Bolívia e o retrospecto se manteve nas oitavas, quando o Atlético Mineiro em casa por 1 a 0 e segurou o 0 a 0 em Minas Gerais.

E fora de casa?

Então quer dizer que o Jorge Wilstermann é uma baba quando não joga na altitude? Também não é bem assim. Foi apenas um empate e três derrotas como visitante, mas todos os reveses foram apertados Além do 2 a 1 para o Tucumán, 2 a 0 para o Peñarol, os bolivianos seguraram o ímpeto do Palmeiras por mais de 90 minutos em pleno Allianz Parque e só tomaram o gol da derrota aos 50 minutos da segunda etapa, com um gol do zagueiro Yerry Mina.

Mas é claro que o River Plate em pleno Monumental de Nunez e com a sua fanática torcida empurrando é muito favorito para vencer. Tanto é que, ainda olhando os números do OddsShark.com, a vitória do Millionarios paga apenas R$ 1,14 por real jogado. O problema maior será fazer três gols e não tomar nenhum para ainda levar para os pênaltis (ou quatro e se classificar direto). Ainda mais pensando que um simples tento anotado pelos bolivianos significa que os argentinos terão que fazer cinco gols.

Nessa Libertadores, o Jorge Wilstermann tem demonstrado uma defesa sólida. Após uma primeira fase não tão boa, quando tomou dez gols em seis jogos, o setor defensivo comandado pelo brasileiro Alex Silva evoluiu e não tomou um gol sequer nos últimos três jogos. Esses números fizeram com que o favoritismo para conquistar a Libertadores mudasse bastante (veja os números do OddsShark.com abaixo, antes dos jogos dessa quarta, quando todos os clubes classificados para as quartas de final ainda tinham chances).

Portanto, de principal favorito ao título, o River passou a ser mais azarão que o maior azarão de todos antes do início das quartas de final. Ou seja, o próprio Jorge Wilstermann.

San Lorenzo - 4.50

Grêmio - 4.50

Santos - 4.50 (eliminado)

Jorge Wilstermann - 7.00

River Plate - 10.00

Botafogo - 11.00 (eliminado)

Barcelona - 13.00

Lanus - 17.00