-->

Guarani faz 39 anos do título: Confira onde estão todos os jogadores!

Na decisão, jogando no estádio Brinco de Ouro, o Guarani venceu o Palmeiras por 1 a 0, gol de Careca

Publicado em .

Campinas, SP, 13 (AFI) - O Guarani completa neste domingo, 39 anos da conquista de seu título de campeão brasileiro, ocorrido também em um “Dia dos Pais”, em 13 de agosto de 1978.

Na decisão, jogando no estádio Brinco de Ouro, o Guarani venceu o Palmeiras por 1 a 0, gol de Careca. No primeiro jogo decisivo, disputado no estádio do Morumbi, em São Paulo, o Guarani venceu o Palmeiras por 1 a 0, no dia dez de agosto, com gol de Zenon de pênalti.

Carlos Alberto Silva foi
o grande responsável pelo título

Carlos Alberto Silva: grande comandante de título histórico
Carlos Alberto Silva: grande comandante de título histórico

O grande responsável pelo título foi o treinador Carlos Alberto Silva, que chegou desacreditado no início da temporada vindo do interior mineiro. Carlos Alberto acertou o time e atingiu grande projeção, sendo um dos maiores ídolos do Guarani até os dias atuais.

Carlos Alberto, que nesta segunda-feira completaria 78 anos, morreu em Belo Horizonte no dia 20 de janeiro deste ano.

Poucos Recursos
Carlos Alberto teve que trabalhar com poucos recursos, já que Ricardo Chuffi (já falecido) havia assumido a presidência em janeiro de 1978 com o clube sem dinheiro, tendo que vender o zagueiro titular da Seleção Brasileira, Amaral, para o Corinthians, para equilibrar as finanças do Guarani.

Outro profissional importante foi o preparador físico Hélio Maffia, que hoje, aos 85 anos, reside em Jundiaí. Hélio Maffia havia trabalho com o lendário técnico Osvaldo Brandão no Palmeiras e no Corinthians, além de ter atuado na Seleção Brasileira e chegou ao Guarani emprestando seu conhecimento e sua capacidade profissional.

Time base: Neneca; Mauro, Gomes, Édson e Miranda; Zé Carlos, Zenon (Manguinha) e Renato; Capitão (Adriano / Gersinho), Careca e Bozó (Macedo). Técnico: Carlos Alberto Silva.
Time base: Neneca; Mauro, Gomes, Édson e Miranda; Zé Carlos, Zenon (Manguinha) e Renato; Capitão (Adriano / Gersinho), Careca e Bozó (Macedo). Técnico: Carlos Alberto Silva.

Confira TODOS os jogadores do Guarani no Brasileiro de 1978

Na campanha do título de 1978, o treinador Carlos Alberto Silva dirigiu o Guarani em todos os jogos e, no total, 25 jogadores foram utilizados. Alguns, jogaram apenas alguns minutos, como o então jovem lateral esquerdo Tadeu. Outros atuaram em pouquíssimas partidas, como o zagueiro Odair, o volante João Carlos, o meia Claudinho e o atacante Antônio Carlos e o goleiro Birigui ficou apenas no banco.

O Portal Futebol Interior traz a relação completa de todos os jogadores que atuaram no Campeonato Brasileiro de 1978 e onde residem 39 anos a fantástica conquista.

O que Aconteceu e Onde estão todos os
jogadores que atuaram da campanha do Guarani em 1978:

Goleiro:

Neneca – Para muitos um dos melhores goleiros da história do Guarani. Vindo do Náutico-PE,

Neneca trabalhou vários anos no Guarani
Neneca trabalhou vários anos no Guarani

jogou em várias equipes, como o América-MG, e chegou a ser treinador de goleiro do Guarani nos anos 2000. Morreu em Londrina-PR em 25 de janeiro de 2015.

João Roberto – Goleiro reserva de Neneca que veio das categorias de base e que nunca teve chance de firmar-se como titular. Após ser campeão pelo Guarani, chegou a passar rapidamente pelo Santos, mas seu melhor momento foi no Itumbiara-GO. Atualmente mora em Campinas.

Birigui – Era o terceiro goleiro e ficou no banco em algumas partidas que João Roberto foi titular, mas não entrou em nenhum jogo na campanha do título de 1978. Revelado pelo Guarani, chegou a ser titular alguns anos após ser campeão, mas seu melhor momento foi no futebol de Pernambuco e em Portugal. Mora em Campinas e é treinador de sucesso no Mato Grosso.

Lateral Direito:

Mauro – Revelado pelo Guarani, chegou a jogar na Seleção Brasileira e foi titular na Seleção Olímpica de 1976. Jogou em times de destaque como Santos, Grêmio-RS, Cruzeiro-MG e Portuguesa. Morreu assassinado em seis de agosto de 2004 na cidade de Nova Odesa, próxima à Campinas quando era funcionário administrativo do Guarani.

Alexandre – Foi o destaque na vitória sobre o Vasco no dia seis de agosto, por 2 a 1, no Maracanã. Vindo do Fortaleza, jogou no Botafogo de Ribeirão Preto e vários times do Nordeste. Hoje mora em Fortaleza.

Lateral Esquerdo:

Miranda: brilhante improvisado na lateral-esquerda
Miranda: brilhante improvisado na lateral-esquerda

Miranda – Revelado nas categorias de base e efetivado na posição por Carlos Alberto Silva já que antes atuava de lateral e ponta direita, jogou em vários clubes de projeção e hoje reside em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte-MG.

Cuca – Fez poucas partidas e foi negociado com a Ferroviária. Chegou ao Guarani em 1976 como sendo um dos melhores jogadores do Pará, onde reside nos dias de hoje na Ilha de Marajó.

Tadeu – Vindo das categorias de base, pouco jogou e não teve projeção na carreira e hoje mora em Salto, no interior paulista.

Zagueiro:

Gomes – De quinto reserva para titular, Gomes também foi efetivado por Carlos Alberto Silva e conquistou vários títulos por onde passou como Corinthians, Goiás-GO, Sport-PE e Coritiba-PR, tendo sido campeão brasileiro em 1985. Mora em Engenheiro Coelho, próximo à Campinas e chegou ao Guarani contratado junto ao Saad de São Caetano do Sul.

Edson – A maioria pensa que o capitão do time em 1978 era Zé Carlos, mas era o zagueiro Edson, que já estava no clube desde 1975 vindo do São Bento. Depois jogou em times do Nordeste e hoje mora em Ceres, no interior de Goiás.

Careca comemorando o gol que deu a vitória do Guarani em cima do Palmeiras
Careca comemorando o gol que deu a vitória do Guarani em cima do Palmeiras

Silveira – Vindo veterano do Operário de Campo Grande-MS, após ter atuado por mais de dez anos no Fluminense-RJ, Silveira ainda jogou em outros times após ser um reserva bem utilizado em 1978. Hoje mora no Rio de Janeiro e trabalha no Vasco da Gama.

Zé Carlos mora em BH
Zé Carlos mora em BH

Odair – Também revelado nas categorias de base, participou de alguns jogos e atuou vários anos no Guarani, sem nunca ser um titular efetivo. Hoje mora em São Carlos, no interior paulista.

Volante:

Zé Carlos – O mais experiente do time e que veio em 1977 do Cruzeiro, tendo sido efetivado como cabeça de área por Carlos Alberto Silva. Depois do Guarani ainda jogou em grandes times como Bahia-BA e Botafogo-RJ e foi treinador do Guarani em 1984 e auxiliar-técnico em 2006. Hoje mora em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte e é vizinho do ex-lateral Miranda, de quem é cunhado.

João Carlos – Volante clássico que fez poucas partidas. Revelado nas categorias de base da Ponte Preta, veio para o Guarani do Matsubara-PR. Mora em Agudas, cidade próxima a Bauru.

Meia Armador:

Zenon mora em Campinas e gosta de jogar tênis
Zenon mora em Campinas e gosta de jogar tênis

Zenon – O grande craque do time e da temporada e que chegou ao Guarani dois anos antes de ser campeão contratado junto ao Avaí-SC. Convocado para a Seleção Brasileira, conquistou títulos com o Corinthians e Atlético Mineiro e fixou-se residência em Campinas.

Manguinha – Também revelado nas categorias de base, foi importante taticamente em vários jogos em 1978, inclusive na partida decisiva contra o Palmeiras quando entrou no lugar de Zenon, suspenso com o terceiro cartão amarelo. Foi campeão paulista pela Inter de Limeira em 1986 e hoje mora em sua cidade natal, Bragança Paulista.

Claudinho – Meia que também era da base, fez poucas partidas no time principal e jogou muitos anos na Bélgica, onde fixou residência.

Ponta de Lança:

Renato – Lançando com 16 anos no time principal em 1975, Renato atingiu a projeção e o respeito com o título de 1978, chegando a disputar a Copa do Mundo de 1982. Conquistou títulos no São Paulo e Atlético Mineiro e hoje mora em Morungaba, pequena cidade na região de Campinas e ainda trabalha no Guarani fazendo parte da comissão técnica bugrina.

Gersinho – A grande promessa das categorias de base, fez alguns jogos no time principal em 1978, mas nunca se firmou como titular. Dono de um talento raro, jogou em equipes do interior paulista até fazer sucesso no Vasco-RJ e em Portugal. Hoje mora em Campinas e chegou a ser treinador interino do Guarani nos anos 1990.

Ponta Direita:

Capitão – Um dos poucos jogadores contratados em 1978, Capitão já havia passado pelo Vasco e Santos antes de ser campeão. Depois atuou em vários times de prestígio, como Palmeiras. Chegou a dirigir interinamente o Guarani nos anos 1990 e hoje mora em Ribeirão Preto, no interior paulista.

Centroavante:

Careca: São Paulo, Napoli e Seleção
Careca: São Paulo, Napoli e Seleção

Careca – Descoberto nas categorias de base por Carlos Alberto Silva, foi lançado com apenas 17 anos pois o titular Adriano, acabou se machucando. Foi a grande revelação da temporada e é considerado um dos maiores atacantes do mundo tendo disputado duas Copas do Mundo. Continua morando em Campinas.

Adriano – Rebelde atacante revelado pelo Guarani, fez várias partidas em 1978, mas perdeu a condição de titular para Careca. Jogou em equipes importantes como Palmeiras e Atlético Mineiro, e faleceu em um acidente de carro em cinco de janeiro de 1980, quando tinha apenas 21 anos.

Antônio Carlos – Também oriundo das categorias de base, Antônio Carlos nunca se firmou como titular do Guarani, tendo atuado em outras equipes de menor expressão. Hoje mora em Valinhos, cidade limítrofe de Campinas.

Pontas Esquerda:

Bozó – Junto com Capitão, Bozó foi o segundo jogador contratado em 1978, já que todos os demais titulares já estavam no elenco desde a temporada anterior. Vindo do São Bento, era o grande xodó da torcida. Também jogou em vários times e hoje mora em Campinas e também trabalha na comissão técnica do Guarani.

Macedo – Emprestado pelo Palmeiras, Macedo começou como titular da ponta esquerda, mas depois foi superado por Bozó. Jogou em vários times do Brasil e hoje mora em Barueri, na grande São Paulo.

Fora estes jogadores, nenhum outro foi utilizado na campanha do Guarani em 1978.

Ficha técnica

Guarani 1 x 0 Palmeiras
Local: Estádio Brinco de Ouro, em Campinas
13 de agosto de 1978
Público: 27.086 pagantes
Árbitro: José Roberto Wrigth, auxiliado por Mário Moura de Souza e Mário Leite Santos, todos do Rio de Janeiro.
Gol: Careca, aos 36´/1º Tempo

Guarani
Neneca: Mauro, Gomes, Edson e Miranda; Zé Carlos, Manguinha e Renato; Capitão, Careca e Bozó.
Treinador: Carlos Alberto Silva

Palmeiras
Gilmar; Rosemiro, Beto Fuscão (Jair Gonçalves), Alfredo Mostarda e Pedrinho; Ivo, Toninho Vanusa e Jorge Mendonça; Sílvio, Escurinho e Nei.
Treinador: Jorge Vieira