Relembre! Guarani completa 35 anos de sua principal conquista

Em 1978, Bugre derrotou o Palmeiras no Brinco e faturou o Brasileirão

Publicado em .

Campinas, SP, 13 (AFI) – Nesta terça-feira, o Guarani completa 35 anos de sua principal conquista. No dia 13 de agosto, no estádio Brinco de Ouro, o Guarani venceu o Palmeiras por 1 a 0 e foi campeão brasileiro de 1978.

O Guarani foi campeão brasileiro acima de qualquer suspeita, tendo somado o maior número de pontos e de vitórias. Com uma campanha que superou todos os demais 74 times, o Bugre perdeu apenas quarto dos 32 jogos e ficou 15 partidas invictas, sendo com onze vitórias consecutivas. O goleiro Neneca ficou 777 minutos sem sofrer gols, recorde batido somente no último domingo pelo goleiro Juliano.

Confira TODOS os jogadores do Guarani no Brasileiro de 1978:
Na campanha do título de 1978, o treinador Carlos Alberto Silva, que nesta quarta-feira completará 74 anos, dirigiu o Guarani em todos os jogos e, no total, 24 jogadores foram utilizados.

Carlos Alberto, hoje morando em Belo Horizonte-MG, até hoje é apontado como o maior ídolo da história bugrina e deverá ser homenageado pelo presidente Álvaro Negrão antes da partida de sábado contra o Madureira, pela Série C. Neneca, que reside em Londrina-PR, é outro que deverá receber homenagens.

Alguns jogaram apenas alguns minutos em 1978, como o então jovem lateral-esquerdo Tadeu. Outros atuaram em pouquíssimas partidas, como o zagueiro Odair, o volante João Carlos, o meia Claudinho e o atacante Antônio Carlos.

Como até hoje muitos jogadores que não faziam parte do elenco dizem que “foram campeão brasileiro de 1978 com o Guarani”, o Futebol Interior traz a relação completa de todos os jogadores que atuaram no Campeonato Brasileiro de 1978 e que são verdadeiros campeões.

Outra mentira que quase pegou é que o presidente era Leonel Martins de Oliveira, que voltou ao clube em 2006 e foi deposto em 2011. O presidente campeão brasileiro era Ricardo Chuffi falecido) e o vice era Michel Abib.

Todos os jogadores que atuaram da campanha do Guarani em 1978
Goleiro: Neneca (veio do Náutico-PE) - João Roberto (categorias de base) - Birigui (categorias de base)
Lateral-Direito: Mauro (categorias de base) e Alexandre (veio do Fortaleza-CE)
Lateral-Esquerdo: Miranda (categorias de base), Cuca (veio do Remo-PA) e Tadeu (categorias de base)
Zagueiro: Gomes (veio do extinto Saad de São Caetano do Sul), Edson (veio do São Bento), Silveira (ex-Fluminense, veio do Operário-MS) e Odair (categorias de base)
Volante: Zé Carlos (veio do Cruzeiro-MG) e João Carlos (veio do Matusubara-PR)
Meia Armador: Zenon (veio do Avaí-SC), Manguinha (categorias de base) e Claudinho (categorias de base)
Ponta-de-Lança: Renato (categorias de base) e Gersinho (categorias de base)
Ponta-Direita: Capitão (veio do XV de Piracicaba)
Centroavante: Careca (categorias de base), Adriano (categorias de base) e Antônio Carlos (categorias de base)
Pontas-Esquerda: Bozó (veio do Noroeste) e Macedo (emprestado pelo Palmeiras)

Destes 24 jogadores, dois já morreram: Mauro, em 2004 e Adriano, em 1980.

Poucas homenagens
No ano passado, a ONG GARRA GUARANI promoveu um jantar para prestar homenagens aos campeões de 1978, mas raramente a diretoria do Guarani faz algum tipo de recordação. Ainda em 2012, o presidente Marcelo Mingone, que fugiu depois de saquear o clube, chegou ao cúmulo de tentar homenagear os campeões de 1978 fazendo os jogadores que disputavam a Série B, a entrarem com o nome de cada jogador campeão na camisa.

Confira aqui a matéria do Futebol Interior publicada no dia 14/08/2012
http://www.futebolinterior.com.br/clube/guarani-sp/232637+Mingone_desmoraliza_campeoes_do_Guarani_de_1978_com_homenagem