Série D: Após eliminação, técnico do Campinense deixa permanência em aberto

Ruy Scarpino falou sobre projeto e destacou que sua permanência no Campinense depende da diretoria

Publicado em .

Campina Grande, PB, 11 (AFI) – Com sentimento de tristeza após a eliminação nos pênaltis para o Imperatriz-MA no jogo do acesso do Campeonato Brasileiro Série D, o técnico do Campinense-PB, Ruy Scarpino, deixou em aberto a sua continuidade no comando da Raposa, dizendo que depende da diretoria

“Minha permanência depende da diretoria. O presidente é quem vai decidir. Eu gostei muito de ter trabalho aqui, é um ambiente bom com os diretores. Se houver o interesse de que a gente comece um projeto, com um trabalho de trazer alguns jogadores, com algumas peças que possamos encaixar dentro daquilo que vemos como perfil para você tornar a equipe competitiva e forte dentro daquilo que ela merece, eu estou à disposição”, disse o treinador em entrevista ao site PBEsportes.

“Eu gostaria de ter pelo menos umas três, quatro peças diferentes, com atletas mais aguerridos, fortes, como essa competição exige, mas tivemos que se adaptar à uma condição que o clube tinha. Tivemos que nos adaptar”, completou o treinador.

Ruy Scarpino destacou que sua permanência no Campinense depende da diretoria
Ruy Scarpino destacou que sua permanência no Campinense depende da diretoria

POR POUCO
Ruy Scarpino também lamentou a eliminação do clube e falou sobre o que não deu certo nos dois confrontos contra o time maranhense.

“Nós não queríamos levar a decisão para os pênaltis. Pretendíamos fazer 1 a 0 e depois buscar o segundo gol, tanto que tivemos um volume de jogo muito grande. O time deles não chutou praticamente uma bola para o nosso gol. Tivemos a possibilidade de ampliar e não aproveitamos, isso acarretou numa agonia e tivemos a infelicidade de perder uma cobrança nos pênaltis. Estávamos com uma confiança muito grande de que a classificação iria acontecer”, disse.

“É um campeonato muito difícil que você corre risco. Trouxemos uma derrota da ida que talvez não merecíamos. O time deles entrou numa formação de início com três volantes e não estivemos tão bem no jogo no primeiro tempo e, no segundo, eles se fecharam, mesmo após o 1 a 0. No mata-mata, além da experiência, você precisa de vigor, capacidade, qualidade, são vários fatores”, finalizou.

O clube paraibano fica agora sem calendário até o final de 2018, iniciando mais para frente a pré-temporada para 2019, que contará com Campeonato Paraibano, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro Série D no calendário do time.