Treinador brasileiro pode deixar o país e trabalhar na Europa

Fábio Giuntini abraçou a carreira de treinador e, ao contrário do Brasil, vê espaços para os mais novos na Europa

Publicado em .

Campinas, SP< 28, (AFI) – O técnico Fábio Gountini está animado com o atual mercado europeu que está se abrindo para os técnicos mais novos, o que não acontece no Brasil. Procurado por alguns clubes de Série D e da segunda divisão do Paranaense, Giuntini preferiu aguardar um pouco, pois pretende outras coisas na carreira. O treinador embarcará para a Europa onde pretende fazer alguns cursos de aprimoramento jos maiores centros europeus de futebol.

“Alguns empresários da Europa e do mundo árabe me incentivaram a viajar para o exterior para fazer cursos e trabalhar em outros países devido à facilidade que tenho de dominar cinco idiomas e ter o passaporte comunitário. Como joguei mais de 13 anos lá fora e conheço muito

Fábio Giuntini quando ainda dirigia o Grêmio Barueri - Divulgação
Fábio Giuntini quando ainda dirigia o Grêmio Barueri
bem o futebol de países como a Bélgica, França, Portugal e Espanha, acredito que possa ter chances de fazer algo diferente para minha carreira”, falou Giuntini.

O treinador falou também da falta de espaço que existe no Brasil para aqueles que não estão no topo da lista de treinadores.

“É uma pena a falta de espaço que alguns jovens treinadores sofrem no Brasil, ontem escutei de um diretor de um clube belga que lá estão renovando muito e os caras mais velhos estão sem espaço no campo devido à evolução do futebol mundial, passando assim para funções administrativas nos clubes. Acho que isso é o mais correto, já que a experiência destes treinadores repassadas aos mais jovens, aliadas às novas tendências, o futebol brasileiro seria o único vencedor”, finalizou Giuntini.

Saiba mais de Fábio Giuntini
Fábio Giuntini atuou 16 anos como jogador profissional de futebol em seis diferentes países (Brasil, Bélgica, Argentina, Espanha, Portugal e Emirados Árabes Unidos). Neste período, trabalhou com técnicos importantes como Vicente Cantattori (Rosário Central – ARG) – ex-Betis Sevilha e Valladolid, André Van Maldeghem (K.S.V. Waregem – BEL) – ex-Seleção Belga
Denis Van Wijk (S.V. Cercle Brugge – BEL) – ex-Ajax Amsterdam, Ariel Jacobs (R.W.D.Molenbeek – BEL), Angelo Nijskens (K.V. Kortrijk – BEL) – ex-Ajax Amsterdam, Cláudio Duarte (Clube do Remo/PA – BRA) – ex-Internacional/RS e Grêmio/RS, Cuca (Clube do Remo/PA – BRA) – ex-Fluminense/RJ e atualmente no Cruzeiro/MG, Miluir Macedo (Potiguar/RN – BRA) – ex-Seleção de Andorra e Sporting Lisboa/POR, Flavio Araújo (Potiguar/RN – BRA) – ex-Icasa/CE , Marco Octávio (Jazeera Al Hamra – UAE) – ex-Brasiliense/DF(auxiliar) e atualmente no Irã e Jorge Manuel (F.C. Arouca – POR) – ex-Sporting Lisboa/POR (categorias de base).

Hoje como técnico, ele se destaca nos gramados. Fábio Giuntini ainda tem a experiência de auxiliar técnico e coordenador técnico.